SóVimPraDançar por Naiara Azevedo

Primeiro Resumão SPFW

segunda-feira, janeiro 31, 2011


Bom meninas, acho que todas sabem que está rolando o 30º SPFW. Morro de inveja das blogueiras que vão pra lá fazer a cobertura do evento mais importante da moda no País (quem sabe um dia chego lá né? rsrsrs). Masssss quem disse que não vou comentar sobre tudo que acontece por lá? Mesmo longe, estou acompanhando tu-do! Vou fazer um resumo dos primeiros dias de tuudo que aconteceu, pra vcs ficarem por dentro do que vem por aí...

Inspirada na Selaria, a Animale iniciou o SPFW, trazendo modelos exclusivas para o desfile como a top Isabeli Fontana, a grife expressou sensualidade com ares contemporâneos na sua coleção. O reforço veio com o mix de materiais como flor de couro (couro ultrafino) estampado e a lã de aplaca que construiram blusas e vestidos leves, com texturas peludas e efeitos em degradê obtidos na própria trama.



As saias e os vestidos foram algumas das principais apostas da coleção. Longas ou curtas e com barras transparentes, nervuras e montagens, exibiam sofisticação; já as em couro, apresentaram uma pegada urbana, complementada por zíperes e mini fivelas douradas.
Dos tons neutros ao vermelho intenso, a paleta de cores do desfile da Animale no SPFW baseou-se no off-white , num retrato de uma feminilidade menos agressiva e mais apurada para o inverno 2011.

 
Em seguida foi a vez de Tufi Duek, que apostou em cores monocromáticas. As peças evidenciavam a construção em alfaiataria, com formas arquitetônicas e recortes geométricos. Branco, off-white, crus e preto refletiam a sofisticação do tema e da própria Tufi Duek. O maxi se destacou tanto na lateral da calça, com uma maxi-fenda, como nos amplos godês das saias e dos babados. 




A inspiração de Samuel Cirnansck chegava logo após. Sua  coleção, partiu de Thomas Chippendale, um rapaz que em 1950 revolucionou o mundo da marcenaria ao criar modelos de mobiliário com apelo popular. Os modelos apresentados na passarela  do SPFW inverno 2010 fugiram um pouco das habituais peças de festas, já vistas em outras coleções do estilista, mas nem por isso deixaram de ter seu tão peculiar requinte. Confiram:



A Triton, encerrou o primeiro dia de desfiles com a Sociality Paris Hilton causando, como sempre. Mais madura, a imagem da mulher da Triton para o Inverno 2011 em poucos momentos parece adulta demais para suas jovens clientes. Na maior parte, propõe um novo jeito de ser jovem e bem-informada por meio das roupas.
 

No segundo dia de desfiles, o Museu de Arte Brasileira instalado nas dependências da Fundação Armando Alvares Penteado (FAAP), em São Paulo, foi mais uma vez o cenário para o desfile de Reinaldo Lourenço. Neste inverno, Reinaldo tratou de temas praticamente opostos. Os uniformes dos anos 1940 falam de militarismo; os vestidos coluna leves e transparentes falam de luz e espiritualidade. Fiquei meio confusa, não vou mentir. Mas achei o desfile bem sexy e elegante.



A sensualidade, o estilista Lucas Nascimento, radicado em Londres buscou mesclando os fios quentes do tricô aos tecidos leves e transparentes de blusinhas justas com cara de segunda pele. Os vestidinhos surgiram curtos, com cortes simples e minimalistas. A paleta de cores ganhou um mix de tons neutros, como cinza, preto, bege e branco, com pontos de cor, como azul royal, amarelo e vermelho. As sandálias plataformas - que tinham no salto a mesma padronagem de listras de Bruce Ingram - foram combinadas com meias coloridas. 






  

A Ellus, ousa apresentando um desfile em 3D gravado em um estudio em São Paulo. Apresentou seu inverno 2011 sensual e totalmente high tech através de uma iniciativa inovadora, mas que deixou a desejar um pouco no quesito visibilidade das peças. Nada como assistir um desfile ao vivo né? Inspirando-se no futurismo, Rodolfo Murilo - o responsável pelas criações da Ellus nessa coleção – trouxe nômades no tempo e no espaço em criações que tinham como foco principal, consolidar a marca no segmento jeanswear deluxe. O aspecto comercial tradicionalmente adotado pela grife permanece, com formas simples e justas que contornavam o corpo.


Dudu Bertholini e Rita Comparato apostaram em um desfile divertido e irreverente, para mostrar a coleção de inverno 2011 no SPFW. Dividido em duas partes, a apresentação mostrou dois tipos de mulheres: a que é bem sexy e abusa do seu poder de sedução, usando apenas roupas em preto, vermelho e branco e outra segura, que tem um pé na batucada, mais gráfica, e tribal. Ahh, a atriz Mayana Moura desfilou pela marca.


A grife Amapô apresentou Na passarela, garotos e garotas descabelados e com ares de inocentes apareciam sozinhos, em duplas, em trios. Para as mulheres da marca, temos nas saias de tule, vestidos, leggings estampadas e nos paletós com mangas volumosas marcados pelas inserções de tricô e, sobretudo, pela descontruções das peças algumas das melhores sugestões da grife. Já para o público masculino da Amapô que se identifica com o visual despojado e extravagante característico da marca, o outono inverno 2012 elege as camisas como peças-chave, combinando-as com calças sequinhas e paletós para arrematar os looks.



Encerrando o segundo dia, Herchcovitch busca forças no universo mineral e nos fenômenos naturais para traduzir sua coleção feminina outono-inverno 2011. Partindo da imagem de rochas vulcânicas, Herchcovitch contrastou a feracidade com leveza de materiais como a seda.  Com trilha sombria, do tipo que capta os sentidos e os tencionam, a primeira modelo veio toda em preto. Ao decorrer, o breu se sedimentaria em tons de cinza e mesclaria em amarelo enxofre em construções complexas, como calças agigantadas que se metamorfoseiam em saias assimétricas.
Às 22h26 foi o momento mais esperado do seu desfile. Lea T., em vestido longo, mangas rendadas por cima do amarelo enxofre, pisa na passarela.



Aguardem a cobertura dos outros dias, é muita coisa gente (isso tudo, so foram dois dias, ainda tem muito mais, viu???


Fonte: Portal Terra

0 comentários:

@SoVimPraDancar